Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

• My Life As Myself •

The creator of this blog is currently trying to be a proper adult. Here, they try to figure out life through photography, writing, music and the occasional existential crisis. Enjoy.

• My Life As Myself •

The creator of this blog is currently trying to be a proper adult. Here, they try to figure out life through photography, writing, music and the occasional existential crisis. Enjoy.

Monólogo interior de mini-epifanias e factos não-fictícios

Quando temos 16 anos pensamos que sabemos tudo; que somos praticamente adultos; que estamos preparados para ser independentes.

Sempre fui assim, só tinha vontade de crescer. Depois cheguei aos 18 e o medo de cair na realidade apoderou-se de mim. O modo-piloto foi desativado e tudo parece um obstáculo.

Uma vez ouvi alguém dizer o quão bom seria se soubéssemos que estamos nos bons velhos tempos antes dos mesmos chegarem ao fim. Eu sempre pensei que os bons velhos tempos seriam na casa dos 20, quando me licenciasse e tivesse casa própria e tudo mais... Ainda vou a meio dos 18 mas o liceu parece-me assemelhar-se a essa definição. Odiei lá estar, foi quando atingi a maior profundidade da minha depressão; foi quando comecei a ver quem eram as pessoas que importavam e tantas outras que fingiam se importar. E foi também quando comecei a recuperar, a construir bases mais fortes para as amizades e aceitar que nem toda a gente me vai perceber.

Tudo isso me afetou, fez com que me tornasse na pessoa que sou hoje.

Hoje, estou a tentar assumir o controlo. As férias já não parecem férias quando vou vagueando pela casa depois de me candidatar a inúmeros empregos sem resposta. Só me dá para sonhar com a escola onde quero estudar, absorver todo o conhecimento possível. Sem fantasias não havia motivação para não desistir da procura. Sem trabalho não vou conseguir atingir os meus objetivos.

Vou fechar os olhos e imaginar algo mais.

 

- who